Basta de Preconceito!

Basta de Preconceito!

15/09/11

MIÍASE I


Etiopatogenia:
Doença produzida por larvas de moscas. Ocorre em pacientes de baixo nível socioeconômico ou em pacientes de áreas rurais.

Há duas formas de miíases: a primária e a secundária. Na miíase primária, a larva da mosca invade o tecido sadio e nele se desenvolve (nesta fase, como parasita obrigatório). Na secundária, a mosca coloca seus ovos em ulcerações na pele ou mucosas e as larvas se desenvolvem nos produtos de necrose tecidual.


 Miíase primária em couro cabeludo
Miíases primárias:


Nesta classe, a forma presente em nosso meio é a furunculóide (chamada de "berne"), causada pela larva da Dermatobia hominis. As fêmeas adultas depositam seus ovos em outros insetos. Estes, ao pousarem na pele,depositam os ovos que, devido a temperatura da pele, eclodem e liberam as larvas. Uma vez na pele, a larva se desenvolve em um período de 30 a 70 dias, quando abandona o hospedeiro, cai no solo e se transforma em pupa.


 Miíase associada: primária e secundária. 
(observem que se trata de uma pessoa idosa)
Miíases secundárias:


Aqui, temos três formas; cutânea, cavitária e intestinal.


 Miíase cutânea com larva


miíase na perna, patela e porção inferior da coxa.



- A forma cutânea ocorre pelo depósito de ovos de moscas em ulcerações da pele com o desenvolvimento de larvas. 


- A cavitária é encontrada em cavidade nasal (particularmente em doentes com leishmaniose nasal), cavidade de orelha e da órbita. 


Prolapso retal com miíase
- Já a forma intestinal surge pela ingestão de alimentos contaminados com larvas.


Aspecto clínico das lesões e tratamento:
M. furunculóide: apresenta-se como um nódulo furunculóide, em cuja parte central há um pequeno orifício. A dor depende da localização, mas é freqüentemente descrita como"ferroada". Pode haver infecção secundária, com diagnóstico diferencial de furúnculo e piodermite. O tratamento consiste na espremedura da lesão puxando-se a larva suavemente com uma pinça.

M. cutânea: neste caso vê-se as larvas movimentando-se ativamente nas lesões cutâneas. Como tratamento, retira-se as larvas após matá-las com éter ou nitrogênio líquido.
 M. cavitária: aqui as larvas encontram-se em cavidades naturais, como a nasal. O tratamento é feito com com ivermectina oral (até 300 µg/kg), medicamento já usado para o tratamento de outras doenças. 
Fonte:Miíase
Leia, Estude, Informe-se, Pesquise e CUIDE-SE!


Leia também: Dama Negra 

Um comentário:

Ame sua Família como se fosse o ultimo dia ! ! ! disse...

Meu Deus eu morro de medoooooo dessas coisas, ainda vem gente me dizer só tem quem tem medo, duvido em. Todo cuidado é pouco.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...